A importância da negociação para sair do endividamento

Por Comunicação
em 30/04/2019

Estar endividado é uma situação delicada e vem se tornando rotineira na vida dos brasileiros nos últimos anos. E mesmo cuidando os gastos, muitas vezes chega o final de mês e o dinheiro acabou, o que pode resultar em estresse e muitas preocupações. Por conta disso, muitas pessoas se desesperam e tomam atitudes inconsequentes agravando ainda mais a situação de inadimplência.

No meio desse cenário, cresce a importância da negociação de dívidas. Com um planejamento financeiro e organização, qualquer pessoa pode renegociar suas dívidas e se livrar deste grande incômodo de forma definitiva. Contudo, o momento de renegociar exige muita cautela do devedor, uma vez que podem existir diversas armadilhas feitas para pegar o cliente menos atento desprevenido e causar ainda mais problemas.

Se você está passando por essa fase, separamos algumas dicas de ações que podem ser tomadas de forma a acelerar o processo do pagamento dos débitos.

Conheça sua situação financeira

Para começar o processo de negociação ou renegociação, o primeiro passo é fazer um levantamento de como anda sua situação financeira. Comece fazendo uma lista com todas as suas despesas fixas aluguel, luz, água, telefone, internet e alimentação, por exemplo e das despesas que variam lazer, por exemplo. Logo após, separe as que estão atrasadas e as que estão quitadas. Avalie quais as que estão com os juros mais altos e quais têm mais chances de conseguir uma negociação.  

Priorize as dívidas mais caras

Após listar todas as suas dívidas, priorize as dívidas mais altas e procure obter todas as informações sobre a dívida: saldo devedor atualizado, Custo Efetivo Total (inclui juros, multas, encargos, impostos e outras taxas embutidas), número de parcelas quitadas e quantas faltam para pagar. Dívidas como cheque especial e rotativo do cartão de crédito, conhecidas por terem os juros mais altos, também devem ser as primeiras no processo de negociação.

Fale com os credores

Sabendo quanto deve e para quem, o próximo passo é procurar os credores para propor opções de quitação: sugira valores que você pode dispor para eliminar esta dívida da sua vida. É de extrema importância não assumir parcelas mais altas do que o valor que você previu mensalmente. E tenha calma na hora de renegociar: deixe bem claro qual é a sua real situação financeira. O ideal é que o acordo seja bom para ambas as partes.

Busque apoio dos órgãos para a negociação

Existem órgãos que podem auxiliar na hora de negociar as dívidas, como os órgãos de proteção ao crédito e de defesa do consumidor, como o SPC e o Serasa. Neles,  você consegue consultar as dívidas incluídas no banco de dados, assim como os contatos e canais de atendimento do credor. Além disso, existem soluções digitais  presentes no dia a dia de instituições financeiras onde é possível facilitar esse processo.

Negocie Digital

O Portal de Documentos possui uma ferramenta criada especialmente para te ajudar e dinamizar todo o processo de negociação, o Negocie Digital. Uma plataforma desenvolvida em um ambiente totalmente digital, pensado para facilitar sua rotina, no qual todo processo é feito em ambiente seguro, sem nenhum custo.

 

Referências
R7 Economia | Uol Economia | Santander Financiamentos

Artigos Relacionados

A importância da negociação para sair do endividamento

Estar endividado é uma situação delicada e vem se tornando rotineira na vida dos brasileiros nos últ...
30/04/2019

Aplicação da LGPD no mercado financeiro

O avanço da utilização de recursos tecnológicos no tratamento de dados por empresas e entidades abri...
30/04/2019

Pin It on Pinterest